You are currently viewing Conheça as deliberações que saíram de Mato Grosso do Sul estão no 9º CNP

Conheça as deliberações que saíram de Mato Grosso do Sul estão no 9º CNP

Não é fácil construir uma democracia. Por diversos momentos a tarefa se vê diante de imensos problemas que envolvem essa construção. No entanto, nenhum país ou categoria profissional construiu a democracia a partir de um plano previamente idealizado que eliminava impasses e conflitos.

Há muitas dimensões a serem consideradas nesta construção e não há possibilidade de se aceitar a ideia de que alguém, por qualquer razão, tenha controle ou domine os caminhos dessa empreitada. Para as/os psicólogas/os esse foi o espírito do 9° Congresso Regional da Psicologia (COREP), última etapa antes da realização da instância máxima que discute e delibera políticas prioritárias do Sistema Conselhos: o Congresso Nacional da Psicologia (CNP).

Realizado em Campo Grande, de 29 a 1° de maio, o COREP foi o resultado um série de atividades preparatórios que começaram ano passado (2015). Comissão Organizadora passou a elaborar diversos encontros com o objetivo de consultar as/os psicólogas/os sul-mato-grossenses quanto às demandas profissionais.

Quem participou do COREP foram as/os delegadas/os eleitas/os na etapa de pré-congressos, que aconteceram em diversas regiões do Estado. As preposições debatidas no COREP foram encaminhadas pelas/os profissionais que participaram das etapas preparatórias, a partir dos eixos temáticos do 9ª CNP que eram: Eixo 1: Organização democrática do Sistema Conselhos e aperfeiçoamento das estratégias de diálogo com a categoria e sociedade; Eixo 2: Contribuições éticas, políticas e técnicas do processo democrático e da garantia de direitos; Eixo 3: Ampliação e qualificação do exercício profissional no Estado de garantia de direitos.

Além da eleição da delegação que psicólogas e psicólogos que estão no 9ª CNP, o COREP de Mato Grosso do Sul também aprovou em plenária as seguintes deliberações:

(9 DELIBERAÇÕES EIXO1)- Organização democrática do Sistema Conselhos e aperfeiçoamento das estratégias de diálogo com a categoria e sociedade.

  • Elencar representantes regionais nas macrorregiões do estado, visando:

– Descentralizar a gestão e articular a participação dos profissionais;

– Consolidar a atuação do GT de Interiorização;

– Ampliar o atendimento aos profissionais do interior.

  • Ampliar a atuação da Comissão de Orientação e Fiscalização (COF), de modo a aprimorar o atendimento das demandas do interior do estado.
  • Realizar eventos no interior, de forma sistemática e periódica, por meio de calendário anual, considerando:

– Contexto cultural local;

– Campanhas nacionais;

– Datas simbólicas.

  • Apoiar as ações sindicais no sentido de defender os direitos das/os profissionais de Psicologia, no que se refere às questões relacionadas ao mundo do trabalho.
  • Produzir ações de comunicação por meio de materiais informativos que sejam acessíveis para a população, otimizando a divulgação sobre a importância do trabalho da/o psicóloga/o na sociedade, contemplando a diversidade de práticas da Psicologia.
  • Aprimorar a comunicação e divulgação das ações do CRP14, a fim de atingir um maior número de profissionais e acadêmicas (os) para mobilização  e participação dos mesmos.
  • Promover debates e discussões sobre nos diversos espaços de a atuação da(o) psicóloga(o) em equipes, destacando dificuldades e apontando caminhos da construção do diálogo interprofissional.
  • Dialogar com os órgãos municipais e estaduais responsáveis pela realização de concursos públicos, para intervir nos critérios adotados, visando:

– Garantir os direitos humanos dos/as candidatos/as;

– Garantir a participação do CRP14 nos processos seletivos/concursos públicos que realizam avaliação psicológica.

  • Promover discussões com profissionais e gestores acerca da inserção e prática das/os psicólogas/os.
  •  

(8 DELIBERAÇÕES EIXO2)- Contribuições éticas, políticas e técnicas do processo democrático e de garantia de direitos.

  • Realizar o mapeamento das(os) profissionais que estão inscritas(os) no CRP14/MS, onde constará a área e o lugar em que trabalham, a fim de realizar ações pontuais para cada política pública, visando contribuições éticas e técnicas para a atuação, bem como, solicitar aos órgãos gestores a publicização da rede.
  • Ampliar a fiscalização nos locais em que as(os) psicólogas(os) atuam, em articulação com o SINPSI/MS.
  • Sistematizar e intensificar parcerias com os cursos de Psicologia para que questões éticas e de responsabilidade social possam ser permanentemente fomentadas, impedindo o distanciamento da realidade por parte das(os) acadêmicas(os) e provocando o envolvimento das(os) mesmas(os) na política da profissão.
  • Mobilizar a sociedade, por meio do CRP14/MS, para que a mesma possa ter conhecimento da prática da Psicologia frente ao seu Código de Ética, atentando à discriminação étnico-racial, de gênero, orientação sexual e religiosa.
  • Incentivar grupos de discussões sistemáticas sobre temas diversos e relevantes para a prática profissional nas diferentes regiões do estado.
  • Promover, por meio do CREPOP, o levantamento sobre a atuação de psicólogas(os) na política pública de saúde e incluir o debate sobre as questões éticas.
  • Ampliar ações do CRP14/MS para firmar a profissão nos espaços de garantia de direitos.
  • Criar no CRP14/MS grupos de trabalho para abordar a questão étnico-racial e cultural e laicidade, caso não sejam contemplados em outros grupos, e publicizar as Comissões e grupos de trabalho de forma sistemática nas diversas mídias (whatsapp, facebook, site e etc).

(10 DELIBERAÇÕES EIXO3)- Ampliação e qualificação do exercício profissional no Estado de garantia de direitos.

  • Qualificar o debate da categoria que atua nas Políticas de enfrentamento à violência de gênero.
  • Ampliar o quadro técnico de agente de fiscalização na atuação da/o profissional de Psicologia por meio do Conselho Regional que contemple as macrorregiões, com vistas a garantir o processo de orientar, fiscalizar e disciplinar.
  • Articular junto ao poder público a ampliação do debate da questão do racismo institucional e intensificar ações que visem o enfrentamento das diferentes violências étnico-raciais nos demais contextos.
  • Construir Referências Técnicas para a atuação das(os) Psicólogas(os) junto às populações indígenas.
  • Ampliar a articulação com as Instituições de Ensino Superior (IES) em parceria com os núcleos da Associação Brasileira de Ensino em Psicologia (ABEP) e outras Instituições Formadoras  para discutir uma formação  que atenda às demandas atuais e referende o compromisso social da psicologia.
  • Propor parceria com as Instituições de Ensino Superior (IES) para a realização da pesquisa “Quem é a(o)profissional da psicologia no Estado do MS?”; com o objetivo de desenvolver estratégias que agreguem a categoria ao Sistema Conselhos por área de atuação.
  • Promover ações e o debate técnico-político que envolvam a a atuação das(os) Psicólogas(os) com populações vulneráveis e comunidades tradicionais na garantia dos Direitos Humanos.
  • Criação de um Grupo de Trabalho para a discussão   sobre o papel da Psicologia na área de comportamento animal e relações interespécies (animais).
  • Garantir e dotar com recursos específicos o Cineclube como estratégia de discussão e formação profissional, e promover sua regularidade nas macrorregiões do Estado.
  • Articular parceria com o Sindicato da categoria para promover debates com os Órgãos Públicos e Privados sobre a inserção e condições de trabalho da(o) Psicóloga(o)