You are currently viewing Criação de GT de Psicologia Animal ganha força após cineclube

Criação de GT de Psicologia Animal ganha força após cineclube

Em julho, o Conselho Regional de Psicologia de Mato Grosso do Sul (CRP14/MS) promoveu uma discussão sobre animais em situação de cativeiro, com destaque especial para aquários e zoológicos, com a exibição do documentário Blackfish (2013). Além de gerar um caloroso debate entre os participantes, a sessão fortaleceu a iniciativa encaminhada para o 9° Congresso Nacional de Psicologia, para criação de um Grupo de Trabalho de Psicologia Animal.

Segundo a psicóloga Jaqueline de Andrade (CRP14/06193-6), uma das debatedoras convidadas, o intuito do cineclube era tratar dos animais em cativeiros, tendo como pano de fundo a situação das orcas que se apresentam no parque aquático SeaWorld.  Porém, a conversa foi “ampliada para as variadas relações que temos com os demais animais e quais as implicações observadas”, comentou.

A proposta de criação de um GT em Psicologia Animal teve sua origem em Mato Grosso do Sul, durante os eventos preparatórios para o 9° CNP. Sua estruturação tem o mesmo enfoque dado pela Declaração de Cambridge sobre a Consciência (2012) aos animais não humanos e que estende o olhar às relações interespécies. Ainda de acordo com Jaqueline, a iniciativa “é emergente no país e está em pleno desenvolvimento, tendo sido incluída apenas neste ano dentre as deliberações do Sistema Conselhos de Psicologia”.

Para Jaqueline é muito importante consolidar a participação de profissionais nesta área. “A partir dessa perspectiva de ‘animal’, profissionais da psicologia podem (e precisam) contribuir ao compor equipes multiprofissionais envolvidas em cuidados interdisciplinares dispensados aos animais não humanos, visando à promoção de saúde e prevenção de doenças, visto que muitos animais desenvolvem ou agravam patologias a partir de comportamentos inadequados. Esses quadros muitas vezes têm resultado em amputações, sedações e eutanásias. A psicologia pode contribuir com fins de melhorar e/ou reverter muitos casos”, explicou.

Participaram do debate, o psicólogo e professor da UCDB Dr. Rodrigo Lopes Miranda, e a médica veterinária, doutoranda em psicologia (UCDB) e coordenadora do curso de graduação em medicina veterinária da UCDB, professora Laura Raquel Rios Ribeiro.