You are currently viewing Psicóloga representa Comissão de Educação do CRP em evento sobre Direitos da Pessoa com Deficiência

Psicóloga representa Comissão de Educação do CRP em evento sobre Direitos da Pessoa com Deficiência

 O Conselho Regional de Psicologia da 14ª Região e o Sindicato dos Psicólogos de Mato Grosso do Sul (SINPSI-MS) acompanharam a IV Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência que teve como tema “Os desafios na implementação da política da Pessoa com Deficiência: a transversalidade como radicalidade dos Direitos Humanos”, realizada nos dias 22 e 23 de Junho de 2015, no Centro de Formação Lúdio Coelho, na Secretaria Municipal de Educação – SEMED, Rua Onicieto Severo Monteiro, n. 460, Vila Margarida. A abertura da Conferência no dia 22 de junho às 19h 30min iniciou com a fala de Janete Belini – Secretária Municipal de Políticas, Ações Sociais e Cidadania (SAS) – delineando a importância da realização de conferências, como espaços de participação da sociedade no acompanhamento e monitoramento das políticas públicas. A Secretária realizou uma síntese sobre a história das Conferências Municipais dos Direitos da Pessoa com Deficiência – a primeira foi realizada em 2006 – e destacou que com as consolidações de marcos legais, mais do que a setorialidade governamental, é preciso enxergar as pessoas com deficiência como sujeitos de direitos e não como objetos de atuação de cada uma dessas políticas.

Edivaldo da Silva Ramos, presidente do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), palestrou acerca do tema do evento: “Os desafios na implementação da política da Pessoa com Deficiência: a transversalidade como radicalidade dos Direitos Humanos”. Edivaldo relatou que no Brasil, o olhar para a pessoa com deficiência é muito recente, até então as ações governamentais eram restritas, cabendo muito mais à sociedade civil a busca por meios de acesso à cultura, saúde, entre outros. Este pontuou que com a Constituição de 1988, delinearam-se dois tipos de democracia: (1) representativa (ainda temos a capacidade de eleger pessoas só porque estão na mídia há mais tempo) e a (2) participativa, que é mais difícil efetivar-se por requerer mais exercício nos Conselhos, fóruns, movimentos, e nas próprias conferências. No dia 23 de junho, período matutino, foram realizadas apresentações com o propósito de nortear as discussões acerca dos três eixos norteadores do evento: 1° EIXO: Gênero, raça e etnia, diversidade sexual e geracional; 2°  EIXO: Órgãos Gestores 2 e Instancias de Participação Social e 3° EIXO: A interação entre os Poderes e os entes federados. No período vespertino, com a participação no Eixo 1 – Gênero, raça e etnia, diversidade sexual e geracional, foi possível observar, por exemplo, a preocupação com a garantia na formação de profissionais técnicos, licenciados e bacharéis na temática da pessoa com deficiência, por meio da inclusão de conteúdo relacionado à gênero, raça e etnia, diversidade sexual e geracional na grade curricular dos cursos técnicos, profissionalizantes, graduação e pós-graduação. Também foi proposta como diretriz, garantir às pessoas com deficiência o direito à sua identidade de gênero raça, etnia, diversidade sexual e geracional.

As ações estratégicas elaboradas foram: 1 – Execução de saúde que atenda a todos os gêneros, raças, etnias e diversidade sexual geracional; 2 – garantir o atendimento humanizado por meio do uso do nome social; 3 – promover ações que possibilitem autonomia da pessoa com deficiência que respeite sua identidade de gênero, cabendo responsabilidade aos municípios, estados e União. O evento encerrou-se com a apresentação das propostas dos três eixos supracitados e eleição de delegados para a Conferência Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

 

Por: Psicóloga Simone Cougo CRP14 / 05642-7