You are currently viewing Debate virtual aborda a atuação da psicologia junto às Políticas Públicas

Debate virtual aborda a atuação da psicologia junto às Políticas Públicas

Live fez parte da comemoração dos 60 anos da Psicologia no Brasil

Em homenagem aos 60 anos da Psicologia no Brasil, o CRP14/MS (Conselho Regional de Psicologia de Mato Grosso do Sul – 14ª Região), realizou um debate virtual sobre a atuação da profissão junto às Políticas Públicas. A transmissão foi exclusiva via canal do YouTube do CRP14/MS e está disponível para quem tiver interesse.

Conselheira Tesoureira do Conselho Federal de Psicologia e Mestre em Educação pela UFMS, Norma Celiane Cosmo foi uma das palestrantes e destacou que os profissionais participantes puderam falar da atuação da Psicologia em situações reais do dia a dia, dando clareza e profundidade sobre a profissão.

“Eu falei na visão do sistema conselhos de Psicologia, a importância do GT de história de realizar mais encontros como este para debatermos a prática da Psicologia ao longo dos anos, inclusive antes de 1962, quando houve a regulamentação. E agora temos a Lei 13.935/19, sobre a inserção do psicólogo na educação, que é uma nova revolução”, afirma Norma.

Doutora em Psicologia com ênfase em Saúde pela UCDB, membro da Comissão de Psicologia Social e Comunitária do CRP14/MS, Camilla Fernandes Marques destacou a atuação da Psicologia no campo da assistência social. “A gente passa a entender que a Psicologia se faz necessária para pensar esses processos de políticas públicas”.

Para o mestre em Saúde da Família pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, especialista em Saúde Pública, Saúde da Família e Educação em Saúde Coletiva, Moysés Martins Tosta Stort, a atuação dos profissionais da Psicologia nos serviços de políticas públicas é um desafio.

“A atuação do psicólogo e da psicóloga em serviços de políticas públicas tem apresentado desafios, tendo em vista tensões e disputas presentes nesses espaços. A atuação profissional é demandada então há uma produção criativa de resistências, encontrando no trabalho em equipe, na construção de sentidos em comum no trabalho com subjetividades e em projetos alinhados aos posicionamentos da categoria possibilidades de um trabalho ético e transformador”, reforçou Moysés.

Para o professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Rodrigo Miranda, que é membro do Grupo de Trabalho de 60 anos de Psicologia, o evento foi marcado pelo pensamento da Psicologia na perspectiva histórica que ocupa nas políticas sociais.

“Ao longo da profissionalização da Psicologia, nós vamos deixando de ser uma profissão única e exclusivamente relacionada à saúde, ao trabalho e educação na perspectiva individualista de pensar, sobretudo no indivíduo, e vamos a partir do tempo, que se dá especialmente após 1962, nos inserindo no debate social e nisso nos aproximando das políticas públicas, especialmente pós-constituição cidadã de 1988. Que vai se organizar mais claramente nesse papel das políticas públicas tanto na assistência, quanto na educação e na saúde. Aí nesse cenário, pensamos nas críticas e nas dificuldades para implementar as políticas públicas e a atuação da Psicologia nesse contexto. Pensando na ideia de uma produção de saúde, não apenas de saúde como ausência de doença, ou saúde relacionada com saúde mental, mas a saúde com a relação em que as pessoas estabelecem no grupo social e estabelecem do seu tempo histórico com a sociedade em que se encontra. E aí como a Psicologia entra como promotora das ações de produção de saúde e bem-estar social a partir dessas políticas públicas?”.

Essa live fez parte do calendário de comemorações dos 60 anos da Psicologia, que tem previsão de outros eventos até o mês de agosto – mês da(o) psicóloga(o), sendo assim, o CRP14/MS convida aos profissionais da Psicologia a participarem da programação.